Eu também...

Dose letal de anestésicos matou Michael Jackson

Se eu tivesse um nariz daqueles e tivesse que olhar para o espelho todos os dias, também andava lá nos anstésicos.

Sabem o que é mesmo muito fixe?

Alcunhas. Porquê? Simples: não são os nossos nomes do B.I.. Eu não conheço ninguém que goste do próprio nome. E acho que é impossivel. Ou não se gosta, ou está-se completamente indiferente ao próprio nome. E depois acho que, por muito mau que as pessoas digam que são, as alcunhas são honestas. Não são mais do que espelhos ou caricaturas. Se alguém fosse vá lá...cheínho, e enquanto passava na rua via um caricaturista e fosse pedir uma caricatura sua, essa pessoa achava que estava bastante bom e que o senhor era um verdadeiro artista! Mas quandos os amigos lhe chamassem de "Ó Gordo", ele de certeza que iria maur para um canto. E na verdade, é a mesma coisa dita de formas diferentes.

Mas as alcunhas têm algo de especial, senão não nos ficavam na memória durante tanto tempo. É o tal je ne sais quoi...

Não sou assim grande fã, sabes?

Eu não sou assim grande fã de leitura. Tenho imensos livros no meu quarto, de diversos autores conceituados e já li pequenos trechos de todos eles. Mesmo assim, os livros que li na íntegra, do início ao fim e sem ser na diagonal, contam-se pelos dedos das mãos. Mesmo se eu tivesse sido amputado a um ou dois dedos, não importa, continuariam a contar-se pelos dedos das mãos. Há quem diga que eu ainda não encontrei um estilo que me agradasse, há também quem diga que é normal e que há algumas pessoas que não apreciam ler, e há até quem diga que sou parvo. Eu já li de tudo (quando digo tudo, leia-se pequenos trechos de tudo), todos os estilos de que tenho conhecimento, já li policiais, sátiras, e até as legendas do Dragon Ball! Digo-vos...Dragon Ball legendado é mau...muito mau! As vozes em japonês não têm piada nenhuma.
Eu não sei se isto também acontece a outras pessoas mas, já alguma estiveram a ler algo e depois, 2 minutos depois, esqueceram-se de como a história era? De quem assassinou a Jane? E depois têm que voltar páginas atrás, ler as coisas de novo para pôr o pensamento em ordem? Esse é o meu problema com os livros! Eu conheço uma pessoa que é um verdadeiro rato de biblioteca, não só porque gosta de queijo mas também porque lê muito, e disse-me que isso até era normal. Mas porra, então porque é que há tanta gente que gosta de ler? Qual é a piada em ter de voltar a ler para nos lembrar-mos de como morreu a Jane? É que depois, em alguns casos, os livros têm letras tão pequenas que se fica ali um bom tempinho à procura da agulha "Jane" ali no meio do palheiro.

Mas há uma coisa que eu adoro fazer, ou melhor gosto mas só o faço porque preciso, e que até está de certa forma relacionada com a leitura, que é escrever. Muitas são as vezes em que penso algo de interessante (pelo menos na minha opinião, tá?) e ainda mais são as vezes em que me esqueço delas. Então escrevo. Penso que ainda seja melhor que RedBull para revitalizar a mente (embora eu seja um bocado suspeito: acho que tudo é melhor que RedBull) e depois ainda escuso de estar ali a tentar forçar a mente para me lembrar de algo.
Agora ler o que escrevo? É quase tortura...


E é isto, só para dizer que: Escrever>Ler

Este post é tão coiso que a piada está nas "etiquetas"

Sabem qual o maior nadador de sempre?




(Ao início era o Sócrates, mas o Cavaco tem mais piada)

O sentido da vida

É o da direita. Nós até podemos ter alguns defeitos, mas ainda não chegámos ao nível da Índia!
E depois, o mundo é para os destros!

Há uns tempos no Miami Ink , o Chris Garver queixava-se que aquele aparelho que se usa para fazer as tatuagens e que cujo o nome não me recordo (na Wikipedia diz "aparelho eléctrico de tatuar"), era feito para os destros. Ele sendo canhoto, queixava-se que havia muito peso a ir para a frente e era dificil tatuar assim.
As guitarras que o Jimi Hendrix usava, eram na verdade, guitarras para destros (não havia guitarras para canhotos na altura, penso) com as cordas trocadas.
O von Goethe também era canhoto. E até podem pensar que não há mal nisso, mas na verdade, como nós aqui no Ocidente escrevemos da esquerda para a direita, deve ser bastante desconfortável escrever com a mão esquerda. E sim estou-te a culpar a ti, inventor da escrita!
Até o Eisntein, o senhor portador do que se diz ser o maior cérebro da história era canhoto.

Meus amigos, eu tirei tudo isto de uma lista de pessoas canhotas famosas. Encontrei a lista no Google, o maior amigo do homem, mas quando fui pesquisar por pessoas destras famosas, nenhuma lista aparece! Isto só pode querer dizer uma coisa: ou não há destros famosos, ou então esqueceram-se de fazer essa lista. Mas também, quem quer uma lista de destros famosos? Só se quer é de canhotos pá! Eu se fôr à procura de famosos heterosexuais, não encontro. Só se fôr de homosexuais. Mas bem, os canhotos e os homosexuais são na verdade, minorias na nossa sociedade. Existem mais destros que canhotos, e mais heterosexuais que homosexuais. Se calhar procuramos isso por curiosidade em saber mais sobre as minorias.

Mas, e se a hipótese de não haver destros famosos fôr verdade? Vão-me dizer que em toda a história da humanidade nunca houve um destro famoso? Não digo famoso de ser popular lá no bairro, lá na escola ou no trabalho, nem digo ser famoso de aparecer nas revistas (porque quem viu o episódio #2 do Portugal, Meu Amor sabe que até é fácil aparecer numa revista. Quem não viu, aconselho a ver, não só aquele mas como todos os episódios).
Tou a falar de famosos daqueles que têm mérito no seu trabalho! O Einstein, o von Goethe e muitos outros canhotos viviam da escrita, mas como expliquei lá atrás, aqui no Ocidente escreve-se da esquerda para a direita, não é vá lá...natural escrever com a mão esquerda. Vão-me dizer que para se ser dos seres mais inteligentes à face da terra, tem-se que ser canhoto? Seguindo a teoria de não haver destros famosos, sim.

Mas, calminha aí! Eu sempre ouvi dizer que nos tempos de Salazar, os professores não deixavam as crianças usarem a mão esquerda. E o meu professor de história do 9º ano, andava sempre a dizer que uma das principais preocupações de Salazar era que as pessoas não se tornassem demasiado instruídas (e tenho que lhe dar os meus parabéns, se ele foi eleito o maior português de sempre é porque o objectivo foi cumprido).
Ora bem, não sei se repararam, mas isto até suporta a teoria de não haver destros famosos!

Eu, Diogo Beirão, pela primeira vez na vida, tenho uma teoria que poderá estar correcta! Estou neste momento...incrédulo!
Aqui neste blog o humor nem é muito mau, mas o nº de visitas é muito fraquinho (e os que vêm parar aqui vêm procurar outras coisas, basta olhar para o nome do blog), mas já encontrei a explicação: eu sou destro! É verdade, sofro desta coisa que sei que um dia me irá condicionar a minha vida profissional (se algum dia chegar a ter uma, que isto de ser destro é lixado)

Gente, quando tiverem filhos, obriguem-lhes a escrever com a mão esquerda. Não só para escrever, mas para tudo! Antes que seja tarde demais...



Para terminar:

Canhotos vs. Destros Winners: Canhotos

Homosexuais vs. Heterosexuais Winners: Homosexuais

Semelhança

Os cintos são como o Clearasil: nunca se consegue pôr dois dias seguidos.

A língua francesa

Porque é que começam a ensinar o francês no 7º ano? É mesmo necessário?

Querem-nos pôr a engatar assim tão cedo?

Os bolsos

"Bolso é a parte da roupa que funciona como uma pequena bolsa utilizada para guardar objectos."
Wikipedia


É é isto. A definição de bolso é bastante simples. Porém, parecendo que não, os bolsos são extremamente dificeis de utilizar. É suposto serem um pequeno pedaço de tecido onde guardamos e tiramos coisas como a carteira, o telemóvel, e as chaves de casa quando bem nos apetecer.
Ora bem, quantas vezes já tiveram que ir comprar leite ao supermercado e quando vão a pagar, a senhora da caixa estende-vos a mão para receber o dinheiro (enquanto desvia a cabeça para conversar com a Dª Josefa acerca do casamento do primo do seu vizinho do 3º Esq. com a rapariga com quem o seu filho conversou nas férias no Algarve de há 2 anos atrás), e demoram tanto tempo a tentar tirar a carteira do bolso que a senhora da caixa até tem a ousadia de olhar para vocês, deixando de conversar com a Dª Josefa, para ver o que se está a passar? Quantas vezes já foram passear à rua e ouvem o vosso telemóvel a tocar, sabem que é algo importante porque o vosso chefe disse que iria ligar a indicar as horas de uma reunião qualquer, e quando vão a tirar o telemóvel do bolso para falar...oops, enquanto batalhavam para enfiar a mão dentro do bolso, carregam no botão vermelho.
Exactamente, hoje em dia, os bolsos ou são demasiado pequenos ou as carteiras demasiado grandes (que não me parece que seja o caso, infelizmente). Os telemóveis é impossivel serem grandes demais, há com cada coisinha aí no mercado que se podia usar para palitar os dentes.
Mas é verdade, os bolso estão a ficar cada vez mais pequenos! Quer dizer, se calhar são as nossas mãos que crescem e essa coisa toda, mas o temanho dos bolsos das calças de tamanho 8 anos são quase do mesmo tamanho que umas calças 38. Ou pelo menos em algumas, já vi o meu primo vestido com cadas calças que parecia que andava aprocurar petróleo.
Nós quando temos quela idade, só guardamos uma coisa no bolso: pastilhas já mastigadas, isto se o estojo do colega do lado não estiver à mão! Porque é que os bolsos são tão gigantescos naquelas idades e depois quando se vai comprar calças quando temos vá lá...13/14 anos, que é quando começamos a guardar a carteira, o telemóvel, as chaves de casa, os preservativos que roubamos ao pai mas dizemos aos nossos amigos que vamos usar logo à noite e as pastilhas já mastigadas (porque velhos habitos são danados para se perder) os bolsos parecem que encolhem?
Vivemos uma infância feliz sem quase nada nos bolsos, até nos perguntamos para que é que eles servem, e depois...puff! Uma catrefada de coisas lá para dentro!
Será castigo?

- Porque é que não arrumaste o quarto, Tiago Manuel?
- Ó, "namapeteceu"...
- Ai é assim? Como castigo toma lá a chave do correio e duas moedas de 2 eur. para encheres mais os bolsos!
- Mas...ó mãe!

Será mesmo castigo? Todos sabemos que a infância é a parte da vida de uma pessoa mais inocente. Ser o karma a tentar repôr as coisas? Faz-se algo de bom, recebe-se algo mau, faz-se algo mau, recebe-se coisas boas...até que faz sentido. O que não faz sentido e que ainda me causa uma pequena comichaozinha no tornozelo direito é o facto de uma pequeno pedaço de tecido conseguir resistir à invasão humana! É que nao sei se já reparam, mas todas as "dobragens" que fazemos à coluna deve dar problemas sérios no futuro, por isso...vamos todos pó ginásio!

(Ainda é cedo, deculpem lá se falta alguma coerencia ao texto)

Gaguez? A sério? Eish, não me digas...


Acreditam que eu passei 10 anos da minha vida (aprendi a escrever aos 6) a pensar que se escrevia "gaguês"? No outro dia a fazer bodyboard na internet (porque surfar deiou de estar in), e vi lá escrito "gaguez"!
Depois decidi ir ao Google ver qual das expressões estava correcta, e eu estava errado!

Chiça, foram 10 anos...


(Ah e queria informar aos senhores da RTP que NÃO é uma doença!)

Pet Shop Boys


Eles vêm cá a Portugal!

Ao menos não vêm montados a cavalo. Trazem um cágado no máximo.

A razão para qual o tabaco devia ser legalizado para crianças a partir dos 12 anos, nascidas no Algueirão ou zonas próximas (que titulo grandinho)





Eu não fumo, mas devia. Isto porque vivo numa zona onde o "perguntar as horas" ou o "emprestar 50 centimos" são os desportos de eleição.

Assim quando me esquecesse do telemóvel ou da carteira em casa, podia compensar oferecendo um cigarro...no peito.





(no fundo a imagem não tem nada a ver com isto, mas pronto)


Assim é que devia ser para toda esta gente!


Pelo titulo aposto que pensam que irei escrever qualquer coisa sobre o Isaltino Morais...mas não!


E sim, eu leio o site daquela revista...mas não contem a ninguém!